Roteiro de 14 dias no Japão – Quioto, Hiroshima, Nikko e Tóquio

Roteiro de 14 dias no Japão

Não acho fácil montar um roteiro pra um país que nunca fui porque quando eu começo a pesquisar logo me empolgo.  Tive essa mesma dificuldade para fazer meu roteiro de 14 dias no Japão. O que acontece comigo é que vou incluindo destinos como se cada lugar fosse um do lado do outro.

Só depois quando sento pra fechar o roteiro é que caio na real. Percebo como é impossível organizar uma viagem, principalmente para o Japão, sem considerar a logística. E assim começam os desapegos. Aqueles lugares maravilhosos que estão lá, tão perto e ao mesmo tempo tão longe.  Que para poder viabilizar todo o resto da viagem precisamos abrir mão deles.

Por isso é importante montar um roteiro prático. Algo que muitas vezes é difícil pois tenho uma quedinha pela invenção de moda. Uma quedinha pelo desconhecido e pelo diferente que me fazem perder o foco. Imaginem só o aperto que não passei tendo que escolher quais lugares eu conheceria no Japão?!

Para ajudar quem possa ter a mesma dificuldade vou compartilhar aqui um roteiro de 14 dias no Japão já com o pulo do gato. Ou seja, com adaptações no meu roteiro original que eu indicaria a um amigo que por ventura fosse fazer a mesma viagem. Dos lugares que conheci em alguns eu teria ficado mais tempo, outras atrações turísticas eu riscaria.

Te apresento, um super roteiro de 14 dias no Japão com dicas para evitar os erros de primeira viagem. Um roteiro que do meu ponto de vista seria o ideal. Os interessados podem adaptá-lo as suas necessidades. Espero que seja útil para planejar uma viagem para o Japão!

Roteiro no Japão - Ilha de Myajima
Um dos lugares mais fotografados do Japão fica na ilha de Myajim em Hiroshima.

Roteiro de 14 dias no Japão – Viaje na Web

Dia 1 – Narita, Quioto: Traslado e adaptação

Dia separado para translado e adaptação. O voo é bem cansativo e ainda tem a questão do fuso. Que na prática é uma coisa muito louca. Se prepare para dormir 6 h da tarde e acordar 4 h da manhã pelo menos nos próximos três dias.

Chegando em Tóquio, pegue o trem e vá direto para Quioto. Eu sei que é foda viajar novamente após uma vida dentro do avião. Mas achei mais prático assim. Primeiro porque o dia da chegada seria um dia perdido de qualquer forma. Segundo porque  economizamos o tempo do traslado que perderíamos no dia seguinte mais o tempo de check in e check out no hotel se ficássemos em Tóquio . 

No aeroporto, procure um guichê da JR para validar os passes e marcar os assentos. Peça para marcar assento no Narita Express até a estação de Shinagawa. E outro assento no Shinkansen que vai para Quioto.  Ao todo são mais ou menos três horas e meia de viagem.

Dia 2 – Quioto: Templos mais famosos

Dia reservado para conhecer templos e atrações turísticas. Muitos templos famosos ficam em Quioto. Segue abaixo uma seleta listinha com vários templos que me interessaram.

Não consegui visitar todos obviamente. Os que escolhi visitar estão destacados. Com ressalva para o Castelo de Nijo que escolhi enganada, crente que ele era o Templo de Ouro. Não me arrependi entretanto da confusão que fiz porque a visita rendeu fotos lindas. 

Com exceção dos portais vermelhos que dá pra chegar de trem usando o passe da JR, o restante precisa ir de ônibus. Na estação de Quioto compre o passe de um dia e seja feliz escolhendo seus templos preferidos.

Templos e castelos imperdíveis em Quioto:

  • Kiyomizu-dera
  • Kinkaku-ji (Templo de Ouro)
  • Fushimi Inari-taisha (Portais Vermelhos)
  • Castelo de Nijō
  • Kamomioya-jinja
  • Eikan-dō Zenrin-ji
  • Sanjūsangen-dō (estátuas de bronze)
  • Santuário Heian-Jingu (tem Jardins)

Dia 3 –  Quioto, Arashiyama:  Floresta de bambu

Acorde cedo, tome um café da manhã esperto, parta para a estação de Quioto e pegue um trem até Arashiyama. A principal linha de trem é a JR Sagano Line.  Saindo de Kyoto Station pegue o trem em direção à estação Saga-Arashiyama. A floresta de bambu fica a 10 min a pé da estação.

Arashiyama é um distrito bem interessante. Pra começar tem uma floresta de Bambu que ficou super famosa em razão de postagens no instagram. As lindas fotos que vi foram um dos motivos que me fizeram ficar enlouquecida para conhecer Quioto.

Além da floresta, que no fim das contas nem é tão floresta assim, tem um parque com Macacos; um centrinho super charmoso cheio de lojas típicas; templos e um rio que margeia o parque e onde é possível fazer passeios de barco.

Se prepare para passar um dia bem bacana. No centro turístico de Arashiyama encontrei muitas opções de restaurantes e nas redondezas da floresta há vários bistrôs japoneses com comida típica. Eu não comi em nenhum deles, mas conheci um carioca no caminho que nos recomentou com muita ênfase esses bistrôs.

Se no fim da tarde ou no cair da noite ainda houver energia vá bater perna no bairro de Gion.

Dia 4 – Quioto, Hiroshima: City Tour

No roteiro original eu usei esse dia para conhecer o parque da Universal em Osaka. Continuei hospedada em Quioto por mais duas noites e fiz dois bate e voltas de trem bala usando o passe da JR. Um para ir na Universal em Osaka e outro para conhecer Hiroshima.

Porém, todavia, entretanto! Não recomendo que faça o mesmo. Em outra oportunidade vou explicar tim-tim por tim-tim porque estou dizendo isso. O resumo da ópera é que o parque é muito cheio, os teatros são todos em japonês e nem mapa em inglês com facilidade eu encontrei por lá.

Apesar das atrações não deixarem em nada a desejar em comparação a outros parques da Universal, o dia foi cansativo. Acho que eu teria sido mais feliz se tivesse usado o tempo para conhecer a cidade de Osaka ou viajado de mala e cuia para Hiroshima.

Por isso minha recomendação é que pegue sua malinha e vá para Hiroshima. Além da cidade ser uma fofura, hospedagem lá é mais barata.

Nesse primeiro dia em Hiroshima, faça um city tour gratuito. A dica valiosa é que existe uma linha de ônibus que passa por todos os pontos turísticos da cidade incluído no passe da JR. Pegue o mapa da linha no guichê de informações turísticas e seja feliz escolhendo quais lugares visitar.

Três atrações que precisam obrigatoriamente serem visitadas são:

  • O castelo de hiroshima
  • Museu Memorial da Paz
  • Parque Memorial da Paz

Um blog muito útil para ajudar a escolher quais lugares  visitar é  o Japão em Foco. Eles tem muito conteúdo sobre o Japão, usei bastante como fonte de pesquisa para montar meu roteiro.

Dia 5 – Hiroshima: Ilha de Myajima

O plano para esse segundo dia em Hiroshima é conhecer com calma a ilha de Myajima. A ilha foi sem dúvida um dos lugares que mais gostei de conhecer no Japão. Queria ter ficado mais tempo, mas como fiz um bate e volta a partir de Quioto só deu pra conhecer superficialmente.

Você que está vendo esse roteiro com minhas observações pode aprender com meus erros.

Na ilha tem o tori, um portal vermelho que fica no meio das águas na maré alta. Ele é apenas um dos pontos mais fotografados e famosos do Japão.  Só chegando lá para entender o porquê.

Além do tori na ilha tem templos, teleférico, trilhas, vários cervos iguais ao Bambi que ficam te seguindo em busca de comida e um centro charmoso cheio de lojinhas e restaurantes.

Roteiro de 14 dias no Japão - Ilha de Myajima
Olha só que fofura!!

Outra opção para passar o dia que achei interessante mas não tive tempo de incluir no meu roteiro é uma fazenda perto de Hiroshima. Vou deixar aqui essa dica como uma segunda opção. A fazenda se chama Sera Kogen Farm mas eu não faço a menor ideia de como chegar lá.  O que me atraiu é que eles tem plantações de flores diversas ao longo do ano como girassóis e dalila, e cada época do ano tem uma paisagem diferente.  Fiquei muito tentada a ir, pena que não deu!

Dia 6 – Hiroshima, Nikko: Santuário Toshogu

No meu roteiro original fiquei três diárias em Nikko, mas acho que duas noites lá seriam mais que suficientes.

Separe a manhã para gastar com deslocamento. Será um longo caminho de volta até Tóquio e depois de Tóquio até Nikko. No total gasta-se em torno cinco horas e meia de viagem sem contar qualquer tempo perdido com imprevistos.

Seja inteligente e no dia que chegar a Hiroshima, aproveite que já está na estação, vá até o guichê da JR  e agende de uma vez os assentos nos trens para Nikko. Com essa manobra já ficamos sabendo a hora de chagada em Nikko e assim fica mais fácil planejar as atividades para esse dia.

Se programe para chegar em Nikko perto da hora do almoço. Dessa forma, a tarde ficaria livre para conhecer os templos de Toshogu. Esse santuário é a principal atração da cidade, além das atividade ao ar livre que ficam um pouco mais longe do centro, por isso melhor deixá-las para o dia seguinte.

Minha sugestão é que você aproveite a tarde para conhecer o templo, andar pelo centro da cidade e passar pela famosa ponte vermelha de Shinkyo.

A dica esperta do dia é:  procure pelo passe de ônibus na rodoviária que fica praticamente ao lado da estação de trem. O passe é um pouco mais caro que o normal, mas serve para os dois dias . Com ele dá pra chegar em todas as atrações escolhendo o passe certo.

Lugares para visitar a partir de Nikko :

  • Santuário Toshogu;
  • Santuário Taiyuinbyo;
  • Santuário Takinoo;
  • Templo Rinnoji;
  • Ponte Shinkyo;
Templo Toshogu em Nikko -Roteiro de 14 dias no Japão
Templos do Santuário Toshogu

Dia 7 – Nikko: Lago Chuzenji e Kegon Falls

Nikko é uma cidade bem pequena ao lado de uma região montanhosa e de um Parque Nacional onde é possível encontrar uma linda paisagem, diferente a cada estação do ano. Por isso separe um dia para explorar pelo menos o Lago Chuzenji e a Kegon falls, um fica ao lado do outro.

Roteiro de 14 dias no Japão - Ponte Shinkyo
Ponte Shinkyo

No lago tem pedalinhos e barcos que em um dia de sol devem estar em pleno funcionamento. Dei um azar danado porque peguei um dia muito nublado e chuvoso, minhas fotos saíram horrorosas e estava tudo fechado. Mas… Vida que segue!

Usando o passe comprado no dia anterior vá nesses dois lugares e depois considere subir até o final da linha de ônibus. Pegue o mapa da rodoviária e se divirta escolhendo o que fazer.

Existe ainda um outro lugar interessante pra conhecer que fica a uma hora e meia do centro de Nikko. Você provavelmente nunca ouviu falar, mas no Japão descobri esse parque com réplica de várias construções famosas pelo mundo. Imagina só ver o Taj Mahal, o coliseu e o Arco do Triunfo todos juntos?

Seria como dar uma volta ao mundo em poucas horas apenas visitando o Tobu World Square. Uma pena que o tempo estava muito ruim nos dias que passei em Nikko, isso acabou limitando meus passeios.

Lugares para conhecer em Nikko:

Dia 8 – Nikko, Tóquio: Shibuya

Tome seu café com calma e não se apresse demais para chegar a Tóquio, pois normalmente as diárias só começam a partir da 15 h. Tóquio foi o único lugar onde o hotel fez questão de cumprir esse horário quase a risca.

Aproveite o resto do dia para explorar o bairro de Shibuya, se perder pelos becos coloridos e cheios de lojas. Não deixe de ver a estátua do cachorro Hatchi, aquele que foi inspirado no filme Sempre a seu Lado. A estátua fica logo na saída principal da estação de Shibuya.

Atravesse o cruzamento mais famoso do mundo por várias vezes. Tire milhões de fotos e depois tome um café no Starbucks em frente ao cruzamento. A dica esperta é deixar para fazer isso no horário de pico e assim conseguir observar de camarote a multidão de gente atravessando a rua em sincrônia.

Lugares para conhecer em shibuya:

  • Santuário Meiji (Shibuya)
  • Estátua do Hatchi
  • Cruzamento de shibuya
  • Para ideias não tão óbvias olhem as dicas da Lizie no blog Maria Mochileira.

Dia 9 – Tóquio: Akihabara

Akihabara - O bairro dos elêtrônicos no JapãoAcorde um pouco mais tarde porque o comércio no Japão abre por volta das 10 h. Pegue o trem da JR e vá explorar o bairro mais nerd de todos. Em Akihabara você vai encontrar lojas e mais lojas com muitos andares. É loja que não acaba mais, dá pra passar um dia inteiro perdido dentro delas, fazendo calculo matemático do que vale ou não a pena comprar.

Além de eletrônicos nessa lojas tem uma seção inteira de miniaturas de carros, bonecos de mangá, e peças para montar maquetes ou coisas como aviões, barcos e carros com baterias e controle remoto. Demorei um século para entender pra que serviam tantas peças pequenas, mas cheguei a essa conclusão.

Alem das lojas de eletrônicos vi alguns espaços de fliperamas, onde só parece ter doido lá dentro, além de diversas lojas com produtos e acessórios do universo de vídeos games. Pra quem curte a vibe, esse é o lugar!

Eu peguei a dica de uma loja num blog sobre tecnologia e encontrei tudo que eu precisava na loja Yadobashi. Caso queira dar uma olhada o post foi esse aqui.

Outras opções de lugares para conhecer em Tokyo pra quem não quer comprar nada e não gosta de vídeo game:

  • Shinjuku Gyoen National Garden (Shinjuku)
  • Templo Sensoji (Taito)
  • Chidorigafuchi (Chiyoda)
  • Takeshita dori (Harajuku)
  • Ginza (Chuo)
  • Tokyo Tower (Minato)
  • Tokyo Sky Tree (Sumida)

Se acha que a noite ainda vai sobrar energia considere explorar a vida notura de Tóquio comprando com antecedência um desses passeios. No fim das contas nem eu tive energia pra isso, mas se você é do tipo animadão sugiro que tente pelo menos um. Achei os preços razoáveis e a proposta bem bacana.

  • Bares escondidos - Descubra bares novos com dicas de um morador de Tóquio
  • Tóquio PUB Crawl – Ande de bar em bar com uma turma de viajantes e conheça vários pubs descolados em Tóquio

Dia 10 – Tóquio: Disney Sea

Dia reservado para conhecer um parque da Disney.  Em Tóquio existem dois parques que ficam um ao lado do outro. Pra chegar, só pegar um trem da JR. Não lembro qual era a linha mas não tem erro, pergunte no portão de acesso para quem tem o passe. Diga a palavra Disney e o cara vai dizer qual a direção mesmo não sabendo falar inglês.

Chegando lá, reserve uns trocados para pegar o trem da Disney até os parques, porque não estão inclusos no JR. Já compre ida e volta. Eu escolhi o parque Disney Sea porque a temática dele é diferente dos outros parques da Disney no mundo e não me arrependi. O parque é lindo, as atrações são boas e apesar de cansativo foi um dia muito feliz.

No parque não deixe de ir:

  • Na montanha russa do indiana Jones.
  • No mundo e no teatro da pequena sereia.
  • Na Jornada ao centro da Terra.
  • No brinquedo do Simbad (é bobinho mas muito fofo e a musiquinha me deu vontade de chorar)

Dia 11 – Tóquio: Ueno Park, Odaiba

Acorde cedo tome café e se programe para chegar ao Zoológico as 9:30 h, horário da abertura. Na estação procure pela linha Ginza e desça na estação Ueno. Ná dúvida pergunte na hora de mostrar o passe, eles sempre me falavam a direção certa.

Reserve pelo menos umas três horas para visitar o zoológico com calma.  Apesar de algumas ressalvas que tenho esse foi o zoológico mais engraçado que já fui. Os bichos lá gostavam de aparecer, por vezes achei que eles faziam pose para as fotos. Os visitantes iam a loucura, nunca tinha visto algo assim.

Zoológico Ueno em Tóquio - Dicas do Japão

Além do zoológico no parque Ueno encontramos mais templos e um lago com caiaques e pedalinhos. Se o dia estiver bonito rende umas fotos bem bonitas. No dia que fui o tempo estava bem fechado e mesmo assim consegui boas fotos, imagina com o tempo limpo?!

Almoce na praça de alimentação do Zoológico para não ficar de mal humor por causa da fome. Até sair do Zoológico e encontrar a estação pode levar algum tempo. Por isso eu preferi já almoçar ali a ficar procurando desesperadamente um restaurante depois.

A tarde vá a ilha de Odaiba e programe atravessar a Rainbow Bridge durante o pôr do sol. Eu me embolei com o tempo, perdi o pôr do sol e não consegui visitar metade das atrações da ilha, mas talvez você tenha mais sorte ou seja mais organizado.

Fiquei super inspirada de conhecer Odaiba depois de ler o post da Mari no blog Ideias na Mala.

Programação do dia:

  • Parque Ueno
  • Zoológico Ueno
  • Odaiba

Dia 12 -Tóquio: Passeio Monte Fuji

Gente, vocês não vão acreditar no que aconteceu comigo. Eu fui ao Japão e não conheci o monte Fuji, acreditam?! Que blogueira mais mixuruca né?!

Fiquei adiando para comprar o passeio e quando eu cheguei em Tóquio eu já estava meio cansada com os deslocamentos (antes eu estava no Canadá) e falida.  Como a viagem estava no fim e eu já tinha gastado muito mais do que devia e acabei desistindo do passeio. Bom que tenho motivos para voltar! Tudo na vida tem o lado positivo.

As melhores vistas do Monte Fugi ficam longe de Tóquio e embora tenha como ir só com os passes da JR, acho que neste caso compensa comprar um passeio. Vou deixar aqui as opções que eu tinha separado para mim e acabei não comprando.

  1. Passeio de um dia ao Monte Fuji, com cruzeiro em navio pirata pelo Lago Ashi e compras em Outlet.
  2. Passeio de um dia ao Monte Fuji, com cruzeiro no Lago Kawaguchi, colheita de frutas no pé e degustação de vinho na Vinícola Yamanhashi.
  3. Passeio de um dia ao Monte Fuji, com experiência em Onsen e compras em Outlet.
  4. Passeio de um dia ao Monte Fuji, com cruzeiro no Lago Ashi, passeio de teleférico no Monte Komagatake e retorno de trem bala.

Se optarem por fazer um desses passeios por favor voltem aqui pra me contar como foi. Estou curiosíssima para saber!

Dia 13 – Tóquio: Yokohama

Yokohama é outro lugar que queria ter conhecido. Mas o tempo estava tão ruim no dia que reservei pra isso que preferi explorar lojas ali em Shibuya mesmo, perto de onde eu estava hospedada.

Não foi um dia ruim no fim das contas. Meu marido e eu ficamos enlouquecidos com as parafernálias japonesas. Quando a gente se encontrava no meio das lojas estávamos com os olhos esbugalhados. Parecíamos loucos no meio de todas aquelas opções de consumo.

Confesso que comprei muitas coisas que não precisava, mas pelo menos tive o bom senso de abrir mão de várias outras que eu havia colocado na minha cestinha.  Sou daquelas que preferem experiências ao invés de compras mas tenho dificuldade em desapegar do impulso consumista. Como já deixei reservado um dia em Akihabara exatamente pra isso, recomendo que use esse último dia com mais sabedoria.

Yokohama é uma ótima opção porque fica bem perto de Tóquio, tem vistas bem bonitas e dá pra fazer um bate e volta super tranquilo. Dê só uma olhadinha no roteiro de um dia em Yokohama da Dayana no blog Seguindo Viagem.

Outras opções de lugares interessantes para conhecer relativamente perto de Tóquio:

Dia 14 – Tóquio

Deixe tudo organizado no dia anterior. Tome seu café bem cedo, e aproveite o tempo que resta para se despedir de Tóquio, dos japoneses e andar sem rumo perto do seu local de hospedagem. 

Essa foi a minha sugestão de roteiro de 14 dias no Japão, na verdade é uma adaptação do meu próprio roteiro. Alguns dias são bem cansativos mas dessa forma dá para conhecer muitos lugares interessantes. Espero que gostem e que ele possa ser útil no planejamento de uma viagem para o Japão!

Se você tem interesse em saber mais sobre o Japão, se inscreva para receber a newsletter do blog. É gratuito! Aos poucos vou contando por aqui tudo que eu puder sobre como é viajar para o outro lado do mundo. Assinando a newsletter, pelo menos uma vez por mês você recebera em seu e-mail as novidades do blog, inspirações para planejar sua próxima viagem, dicas úteis e notícias do mundo do turismo.


PLANEJE SUA VIAGEM COM A GENTE AQUI NO BLOG:

  • Reserve sua hospedagem no Booking.com – Clique no link e veja todas as opções de hotéis no Japão.
  • Contrate seu seguro viagem com a Mondial  – Evite perrengue e faça um seguro para viajar tranquilo!
  • Alugue seu carro com a RentCars – Aqui mesmo do Brasil você já efetua a reserva com um preço mais em conta.
  • Compre seu chip intenacional com a EASYSIM4U para usar a internet do celular durante sua viagem – Não fique sem internet  fora do Brasil, comprar um chip pra usar no exterior sai muito mais em conta e você fica muito mais a vontade do que se contratar um plano pela operadora. Após a compra, o chip chega em até 8 dias úteis para frete normal ou até 4 dias úteis por SEDEX. Honestamente não sei o que seria de mim sem esse chip no Japão. Ele foi super útil para usar o Google maps, descobrir endereços e lojas para tirar milhões de dúvidas que surgiram durante a viagem .
  • Adquira um roteiro personalizado pelo Viaje na WEB – Se você não tem tempo para pesquisar as melhores atrações de um destino e montar a sua programação de forma independente faça um roteiro personalizado com a gente. Meu roteiro para o Japão foi todo pesquisado e montado por mim. Havendo interesse entre em contato através deste formulário.

Utilizando os links acima o blog ganha uma pequena comissão a cada reserva efetuada. Você não paga nada a mais por isso e ajuda o Viaje na Web a continuar escrevendo dicas e compartilhando experiências.


Se você também ama viajar, e adora ver foto de lugares bonitos acompanhe nossas aventuras pelo mundo através do instagram. Siga @viajenaweb e venha fazer parte da nossa comunidade de viajantes compulsivos que não sabem viver sem pensar no próximo destino.

Você também pode curtir esses outros posts:

The following two tabs change content below.
Mentaliza uma manteiga derretida que tem um pânico irracional por taruiras. Ama viajar, comprar sapatos e escrever. Um belo dia resolveu criar um blog pra compartilhar seu ponto de vista e escrever sobre os lugares mais incríveis que já conheceu.

5 thoughts on “Roteiro de 14 dias no Japão – Quioto, Hiroshima, Nikko e Tóquio

    1. De nada Dayana, gosto de indicar bons posts como complemento para quem lê o viaje na web ou busca informações sobre os destinos. O seu de Yokohama ficou bem legal, e as fotos ficaram lindas. Uma pena que não conseguir ir também. Bjim
      Obrigada pelo comentário! 😘

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *