Parque Guinle – Tudo que você precisa saber antes de ir

Alguns fins de semana atrás nosso passeio com a @sushimuyrico foi no Parque Guinle. Um pedacinho de verde no bairro Laranjeiras, ótimo pra relaxar e escutar o barulhinho da natureza. Desse rolê despretensioso nasceu esse post com todas as informações básicas pra planejar uma visita. Onde fica, como chegar, horários de funcionamento e como foi nossa visita no Parque Guinle.

Lembrando que em tempos de pandemia o melhor a se fazer é ficar em casa. Mas eu moro num apartamento de um quarto com 40 m2 que divido com meu marido e uma chihuahua. Por sorte ou azar não somos grupo de risco. Para manter nossa saúde mental em dia aos fins de semana damos uma escapada. 

Desde que a sushi entrou na família nosso desafio tem sido encontrar lugares diferentes aqui no Rio de Janeiro que aceitam cachorro pra passear aos fins de semana. E assim temos descoberto ótimos restaurantes e cantinhos bem fofos, que talvez não consideraríamos conhecer se não fosse a Sushi.

Onde fica e como chegar no Parque Guinle

Os vinte e quatro mil m2 de área verde que correspondem ao parque atualmente ficam na zona sul do Rio de Janeiro, no bairro Laranjeiras. O endereço oficial do Parque Eduardo Guinle é na Rua Paulo César de Andrade, s/n, mas a entrada é pela Rua Gago Coutinho.

  • Para chegar de Uber: coloque no aplicativo o endereço Rua Gago Coutinho, 66.
  • Para chegar de metrô: desça na estação do Largo do Machado. Saindo da estação, siga pela Rua Gago Coutinho, passando pela Igreja Matriz Nossa Senhor da Glória.

Dificilmente ando de ônibus, então quem sou eu pra dar dicas né?! Mas qualquer um que passe pela Rua das Laranjeiras ou pela Rua Pinheiro Machado ou que desça na praça do Largo do Machado te deixa lá perto. Na dúvida use a página Moovit para te ajudar a encontrar a linha mais adequada de acordo com seu local de origem.

Informações básicas para visitar o Parque Guinle

Antes de ir, dê uma olhada abaixo nas informações úteis sobre o funcionamento e estrutura do Parque. Elas respondem as principais dúvidas que surgem na hora de planejar seu passeio no Parque Guinle.

  • Parque público com entrada gratuita. Funciona 24h/d, ou seja, sem restrição de horário de funcionamento. Como não tem portões e grades que delimitam sua área a entrada é livre.
  • A entrada do parque é pela Rua Gago Coutinho na altura do número 66, sendo o Largo do Machado a estação de metrô mais próxima.
  • Não encontrei um telefone confiável para pedir informações, mas achei um perfil no Facebook.
  • Dizem que tem um banheiro limpo e bebedouro, construído e mantido por um grupo voluntário que cuida do parque, mas não usei nenhum deles para confirmar o estado.
  • Não tem estacionamento próprio mas nas ruas ao redor do parque é possível encontrar vaga pra deixar o carro. Imagino também que não deve ser fácil encontrar estacionamento em dias úteis.
  • É permitido a entrada de cachorros no parque, mas existem diversas placas pedindo que eles fiquem na coleira. Quando estiver por lá, lembre-se ainda de mante-lo limpo. Recolha as fezes do seu cachorro, e todo o seu lixo. Isso é o mínimo!
  • O parque é bem conservado, limpo e me pareceu um ótimo lugar pra fazer piquenique. Por isso, em fins de semana ensolarados é natural que fique cheio. Vimos muitas famílias com crianças e casais passeando com cachorros.
  • A administração voluntária do parque é feita, principalmente por moradores e frequentadores que cuidam junto com a Subprefeitura da Zona Sul para que o parque se mantenha seguro e conservado.

Sobre a história do parque

Antes de virar parque o espaço era uma chácara de propriedade do Dr. Eduardo Guinle onde ele construiu sua residência na década de 1920. Originalmente, foi concebido para ser os jardins da residência. Já deu pra entender de onde veio o nome do parque né?! Os belos jardins foram projetados pelo paisagista francês Gérard Cochet, e mais tarde tiveram intervenções de Burle Marx.

Em 1940, o parque passou a administração do governo federal. Logo depois foi objeto de um plano de urbanização, desenvolvido por ninguém menos que Lúcio Costa. O projeto incluía um conjunto de seis edifícios residenciais que hoje ficam ao redor do parque. Para quem curte arquitetura vale a pena contemplar os detalhes arquitetônicos do projeto.

Hoje a residência que ele construiu, conhecida como mansão dos Guinle é na verdade o Palácio das Laranjeiras, residência oficial do governador do Estado Rio de Janeiro. Como o parque fica ao lado, é um lugar muito bem monitorado e seguro.

Vale a pena visitar o Parque Guinle?

Logo na entrada encontramos um portão simbólico com estátuas, tão elegante quanto muitos portões famosos por aí. Mas infelizmente ou felizmente, ele estava sendo reformado. A previsão de entrega da obra seria para nov/2020, mas obra pública no Brasil nunca se sabe né?!

O parque infantil tem ainda vários brinquedos de madeira super descolados e fica ao lado de um grande lago artificial com patos, marrecos e cisnes. Por ali também costumar ter um pula-pula, que custa alguns trocados. Mas no dia que fomos ele não estava lá.

Subindo pelos jardins, encontramos pequenos córregos, árvores, plantas, patos, cisnes, gansos e marrecos. E isso é só um pouquinho da riqueza natural que habita o Parque Guinle. No alto do parque, tem ainda equipamentos de ginástica para a 3ª Idade.

No geral não gastei mais que uma hora andando pelo parque, mas podia perder facilmente a noção do tempo lendo um livro por ali. A sensação de paz foi uma delícia! No dia que fomos o parque estava bem tranquilo, pouca gente. Dava pra escutar o barulhinho da água descendo e dos passarinhos como uma opera da natureza no meio do bairro de Laranjeiras, na zona sul do Rio de Janeiro.

Barulhinho de água corrente e de pássaros no meio da cidade é uma coisa meio louca, mas foi isso que encontramos lá. No link a seguir vocês podem ver um vídeo curto que publiquei no Instagram dentro do perfil da Sushi mostrando um pouco da nossa visita ao Parque Guinle. Depois de ver, vocês podem decidir por conta própria se vale a pena ou não conhecer o parque.

Galeria com fotos da nossa visita

E vocês?! Já conheceram esse parque?! Conta pra gente nos comentários o que achou, como foi a sua experiência e qualquer outra dica que possa ajudar outra pessoa que também queira desbravar o Parque Guinle.


OUTROS POSTS PUBLICADOS COM DICAS DE VIAGEM NO BRASIL

Museu Paço do Frevo em Recife antigo – Um passeio cultural e colorido
Tudo que voce precisa saber sobre o museu paço do frevo em …
Onde tirar fotos em Campos do Jordão – 10 dicas de lugares fotogênicos para arrasar no Instagram
Lista completa com dicas de lugares bonitos para tirar fotos em Campos …
Dica de restaurante japonês no Rio de Janeiro
Tudo sobre o Gurumê, ótima dica de restaurante japonês no Rio de …

Encontre um hotel em qualquer lugar do mundo com cancelamento gratuito pelo Booking

Alugue seu carro pagando em reais, sem IOF e parcele em até 12x no cartão ou ganhe 5% OFF no boleto bancário

Usando o cupom VIAJENAWEB5 você ganha 5%OFF no seu seguro. Não viaje sem!

Evite filas e pague com antecedência seus passeios e ingressos em diversos destinos pelo mundo

Pesquise suas passagens aéreas e as melhores promoções através da Passagens Promo, um buscador de passagens online

Não fique sem internet no celular durante suas viagens. Já testamos e aprovamos essas duas opções

Contrate este serviço e deixe que nós organizamos seu roteiro com dicas e programação exclusiva para sua viagem

Para enriquecer sua experiencia contrate um guia local ou profissional que mora no destino para te mostrar os lugares mais incríveis e dar as melhores dicas.

Utilizando os links acima o blog ganha uma pequena comissão a cada reserva efetuada. Não custa nada pra você!  Além de adquirir produtos e serviços que serão necessários para sua viagem, você contribui para que o Viaje na Web continue publicando dicas e compartilhando experiências.

Todos os parceiros do site são minuciosamente escolhidos, só fazemos parcerias e indicamos empresas e produtos que acreditamos e que nós mesmas usamos em nossas viagens.

The following two tabs change content below.
Mentaliza uma manteiga derretida que tem um pânico irracional por taruiras. Ama viajar, comprar sapatos e escrever. Um belo dia resolveu criar um blog pra compartilhar seu ponto de vista e escrever sobre os lugares mais incríveis que já conheceu.
ParquesPetfriendlyRio de Janeiro
Comentários (2)
Adicionar Comentário
  • Claudia Porn Lustosa

    Correção: o PG é mantido por doações de moradores e frequentadores há dois anos e não pelo Abraça Aves que foi exonerado por práticas comerciais ilegais dentro do parque

  • Fernanda Bragatto

    Valeu Claudia, não sabia disso! Exclui a informação do post pra ficar certo. Obrigada!

%%footer%%